quinta-feira, 10 de setembro de 2015

E se te cortassem a vida agora?

Fonte: jornaldelondrina.com.br   Às vezes me vejo no fundo de todas as verdade jamais ditas, e encontro ali o conforto de se saber pelo menos um terço das verdades universais. Em tais momentos também é que estou perdido nos pensamentos de como a vida é uma corrente contínua acontecimentos, esbarrões e repentes. E como somos os seres que menos sabemos lidar com tudo isso, desesperando na hora de tomar as atitudes corretas. Matamos o nosso tempo fazendo muitas coisas, e o fato é: que tipo de coisas estamos fazendo para matar esse tempo? Será mesmo que nessa linha que se decorre estamos vivenciando cada segundo da melhor maneira, o possível?
   E quando as Moiras te cortarem os fios da vida? O que há de fazer? Desesperar-se. E outra vez se verá tresloucadamente buscando aquilo que não adianta sequer refletir muito. Não adianta pensar na vida pós-morte, ou em prolongar ela. O importante é esse breve período de sessenta, talvez setenta anos que você passa por aqui. Faça dele o melhor para si, viva intensamente. De verdade, cara. Viva intensamente. Lembras-te do carpe diem? Pois é, use-o com a moderação; mas use-o. Beba, fume, jogue, adquira, coma, corra, fique, abra ou feche. Viva. Sem se esquecer de ser feliz, de fazer o melhor para si mesmo. Não é obrigado que seja também o melhor para os outros, mas seria interessante que fosse uma pessoa marcante. Que fizesse o bem para outrem. Afinal: você só vive uma vez (YOLO).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário no meu blog, não custará nada. Às vezes, leitor, é bom expressar nossos pensamentos.