terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Não tem preço

       Era só uma tentativa. E uma desistência também. Com vontade e esforço fui lá e juntei as ideias, montei um plano. O ator dava cumprimentos a uns fãs e eram poucos, os fãs. Então, cheio de rápidos cálculos em minha cabeça, fui a passos ligeiros para perto do galã de comédia. Cheguei bem perto e fiz o pedido. Realizei o meu pedido, algo que precisava ter feito. Minha vontade, conhecer alguma pessoa que escrevesse também, como eu. Não me arrependo de ter falado ao ator de stand-up, não me constranjo ao lembrar tamanha cena. Cena que contava com alguns olhares que sem disfarce algum me encaravam. E ouvidos que claramente queriam ouvir minhas referências para com o comediante. Foi uma boa cena. Foi uma boa ação da minha parte. Se gerou resultados? Não sei, mas o que sei é que valeu a pena. Afinal: nada me custou mesmo. Não teve preço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário no meu blog, não custará nada. Às vezes, leitor, é bom expressar nossos pensamentos.